O PATRIOTA: FILME PROTAGONIZADO POR MEL GBISON


            Certamente é um filme que impressiona pela estrutura que foi montada para dar um vista de perfeição ao telespectador. O tema abordado era a guerra entre os Estados Unidos e o exército dos Ingleses que era muito superior, porém não tão desejosos de liberdade como os americanos. Não devemos nos esquecer dos nossos posicionamentos críticos, logo podemos afirmar com clareza que no desenrolar do filme acontece é claro bastantes senas de ficção, mas uma coisa é certa o tema que foi abordado no filme é o que nos interessa.
            A causa da guerra é a busca pela liberdade norte-americana e neste caso vemos o sonho tão almejado por parte dos americanos tornar-se realidade. O desejo de liberdade é algo que está intrínseco no coração do homem. O homem anseia por liberdade e este quando não consegue vivenciá-la se sente o pior dos homens, se sente humilhado (escravizado). O desejo dos americanos de alcançar dias melhores, ou seja, de libertar-se da coroa britânica parecia distante.
            Os estados naquela época chamados de colônias passavam por grandes tribulações, conflitos e guerras. Eles não queriam mais se sentir subordinados e escravizados pelos ingleses, no filme fica claro esta realidade. Nisto encontramos a personagem principal, Benjamin Martin (Mel Gbson) é um herói do violento conflito entre Estados Unidos da América e Inglaterra. Ex-herói de guerra, viúvo e com sete filhos, desde o término da guerra ele renunciou a luta e resolveu viver em paz numa fazenda com sua família.
            Em 1775 se inicia a guerra que pode dar à independência política aos Estados Unidos da América e ele é chamado para combater, porém se recusa. Entretanto, quando o exército britânico invade sua fazenda e mata um de seus filhos, Martin muda de atitude e se apresenta para o combate em busca da vingança pela sua morte. No decorrer dos combates a guerra se torna mais do que uma vingança para ele, torna-se um dever patriótico.
            Benjamin Martin (Mel Gibson) mesmo sendo um herói de um violento conflito no passado se recusa a lutar e busca viver em paz com sua família. Mas quando os ingleses levam a guerra da independência americana para dentro de sua casa, Benjamin não vê outra saída a não ser pegar nas armas novamente, desta vez acompanhado por seu filho idealista (Heath Ledger) e lidera uma brava rebelião em uma batalha contra o implacável e equipado exército britânico. Neste processo ele descobre que o único meio de proteger sua família é lutando pela liberdade da jovem nação.
            Os colonos tinham força de vontade, mas interesses divergentes e falta de organização. Das colônias do sul, só a Virgínia agia com decisão. Os britânicos do Canadá permaneceram fiéis ao Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda. Os voluntários do exército, alistados por um ano, volta e meia abandonavam a luta para cuidar de seus afazeres. Os oficiais, geralmente estrangeiros, não estavam ou não queriam envolver-se diretamente no conflito.
            Os ingleses, lutando a 5.500 km de casa, enfrentaram problemas de carência de provisões, comando desunido, comunicação lenta, população hostil e falta de experiência em combater táticas de guerrilha. A Aliança Francesa com os Estados unidos (1778) mudou a natureza da guerra, apesar de ter dado uma ajuda apenas modesta; a Inglaterra, a partir de então, passou a se concentrar nas disputas por territórios na Europa e nas Índias Ocidentais e Orientais. Apesar das frequentes vitórias, os ingleses não conseguiam destruir por completo os exércitos de Washington ou de Green e não conseguiram quebrar a resistência norte-americana.         
            O filme se desenrola no período dessa guerra iniciada pelas treze colônias estadunidenses insatisfeitas com as imposições econômicas da metrópole inglesa. Tal insatisfação partia da burguesia colonial que se via pressionada após a Guerra dos sete anos. Dessa forma, era verossímil que um fazendeiro como Benjamim Martin se recusasse, a princípio, a participar de uma guerra que não lhe atingia diretamente.
            Por fim, o filme é repleto de detalhes históricos envoltos por uma história fictícia como disse no início para dar corpo a fatos importantes da história estadunidense dos Estados Unidos da América. Ao fim dessa guerra vitoriosa, os Estados Unidos se tornaram a primeira nação das Américas a ser independente política e economicamente e a terem uma constituição própria. Mais tarde, em 1812 e 1815, ocorreu uma nova guerra entre os Estados Unidos e a Inglaterra. Essa guerra consolidou de um vez por toda a Independência Norte-americana.

POSTADO POR SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!