1º MANDAMENTO DA LEI DE DEUS


1º - Amarás o Senhor teu DEUS de todo o coração, 
de toda a alma e de todo o entendimento - Ex20, 1-6.

UM SÓ DEUS – Ter um só DEUS não é uma questão de mente, mas opção de vida. Ter um só DEUS, acima de tudo, é entender que somos chamados a amar a DEUS com o todo de nossa vida e com nossa vida toda.

COM TODO CORAÇÃO – Assim como o coração é o órgão responsável que leva a vida ao nosso corpo inteiro, membros e células, somos chamados a viver um amor com DEUS, em JESUS, na totalidade de nosso ser, de nossa vida.  Por DEUS somos amados com nossa individualidade, sonhos, aspirações, sofrimentos e fraquezas. Não há nada em nós que não seja amado por DEUS. Também somos chamados a amar a DEUS com este mesmo amor de reciprocidade.

COM TODAS AS FORÇAS E COM TODO CONHECIMENTO – Somos chamados a viver de um amor sem partes.  Um amor de partes, não é amor pleno.  DEUS é o único que nos ama naquilo que somos, independentemente de nossos méritos, sem exclusões. E nós como O amamos?

AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO – O maior ato de amor a DEUS e ao próximo começa com o amor a si mesmo.  Quem não se ama, não ama a ninguém. A auto-estima ou amor-próprio é parte fundamenta do mandamento.  Por outro lado, quem tem amor-próprio....  é incapaz de não amar o próximo! O amor é como uma onda, que parte de nós mesmos e se espalha pelo mundo.  E ele começa em nosso interior.  Amando a si própria, a pessoa pouco a pouco se torna capaz de amar seus familiares, parentes e vizinhos, compreendendo suas falhas, perdoando-lhes e cuidando deles. Num processo de lento amadurecimento, a pessoa se descobre capaz de amar em dimensões mais amplas, que incluem a solidariedade, a responsabilidade social e o cuidado com o meio ambiente.

COMO PODEMOS AMAR A DEUS CONCRETAMENTE?   O primeiro mandamento fala em “amar a DEUS sobre todas as coisas”. Este é o grande fundamento de todos os outros mandamentos e de toda a vida cristã. Mas como é que a gente pode “amar a DEUS”?
A primeira condição é entender o que é DEUS. Não é uma tarefa fácil, mas todo ser humano traz em si uma intuição que lhe diz: DEUS é a Origem, o Fundamento de tudo quanto existe, Aquele que cria o universo. Quase todas as religiões expressam essa verdade de alguma forma.
Por aí se vê que amar a DEUS é, antes de tudo, cuidar bem de suas criaturas. Cuidar não só dos nossos próprios filhos, mas também deles (família); não só do nosso país, mas o incluindo (política); não só do nosso planeta, mas começando daí (ecologia). Em outras palavras, viver e viver bem uns com os outros — é o maior exercício de amor a DEUS que pode haver. O amor a DEUS realiza-se no amor às Criaturas, ao “próximo”.
Outra atitude essencial é não tomarmos o lugar de DEUS. Ter consciência de que não somos nós o fundamento das coisas — DEUS é mais! Tomar o lugar de DEUS, ou colocar coisas em seu lugar, como dinheiro OU poder, é o que se chama idolatria. Amar a DEUS é evitar a idolatria.
O primeiro mandamento nos lembra que devemos acreditar no DEUS único e verdadeiro sem deixar-se enganar pelos ídolos.  Ídolo é tudo aquilo que nos atrapalha de amar o DEUS Verdadeiro de todo o coração.  Nosso dever em relação a DEUS consiste em crer nele e dar testemunho dele (Ídolo é tudo aquilo que está em primeiro lugar na minha vida, lugar este que pertence a DEUS).   É pecar contra o 1º mandamento:

Idolatria - Ídolo é tudo aquilo que nos atrapalha de amar o DEUS Verdadeiro de todo o coração.  Nosso dever em relação a DEUS consiste em crer nele e dar testemunho dele  (Ídolo é tudo aquilo que está em primeiro lugar na minha vida, lugar este que pertence a DEUS). Este preceito se refere a DEUS criador.  Nenhum ser animal, vegetal ou mineral tem o poder de DEUS Ex25, 18-22; Nm21, 4-9; Jo3, 13-15 (explicar os textos). 

Portanto, o culto católico de imagens não é contrário ao 1º Mandamento, não adoramos imagens, veneramos aqueles que nos serviram de exemplo. A imagem é um meio visual e eficaz para catequizar.   Quando olhamos para uma imagem, de um santo, por exemplo, quer nos fazer lembrar que a sua vida foi um sim a DEUS e quer me encorajar a fazer o mesmo; As imagens devem dizer para nós, o que Maria disse aos servos nas bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele (JESUS) vos disser!”

(Catequistas: Seria importante alertar que de fato, muitos católicos mal esclarecidos, adoram as imagens... É bom alertar para esta questão, sobre a intercessão dos santos e etc... Pode dar o exemplo, por que muitas vezes ao chegarmos na igreja, não falamos com o dono da casa, com uma genuflexão, e, vamos direto as imagens para orar). A veneração a Maria Santíssima se chama hiperdulia e aos santos dulia. A veneração a imagens foi liberada pela Igreja devido ao entendimento: “O Filho de DEUS se fez imagem do Pai” Jo14-8-9.

Para nós cristãos, amar a DEUS significa também seguir seu Filho JESUS Cristo e viver o que ele nos ensinou nos Evangelhos.

Superstição: É um desvio do culto que rendemos ao verdadeiro DEUS. Ela se mostra particularmente na idolatria, assim como nas diferentes formas de adivinhação e de magia. 

Superstições mais praticadas: correntes, objetos que dão sorte: horóscopo, leitura de mão, pirâmide, ferradura atrás das portas, etc.

(Para falar sobre esses objetos, a passagem de Isaías é fantástica.... A idéia que se baseia é: como podem dar mais importância as criaturas do que ao Criador? – Is44,9-11; 17-18; Is45,14ss – Vale a pena Catequistas refletí-las).

Recusar ou rejeitar: a existência de DEUS, acreditar em religiões falsas que falam mal dos outros e enganam as pessoas, por exemplo.

Desespero: deixar de esperar em DEUS a sua salvação pessoal e presunção salvar-se sem ajuda de DEUS ou esperar obter perdão sem conversão e a glória sem mérito.

Dúvidas voluntária sobre a fé: Negligencia ou recusar ter como verdadeiro o que DEUS revelou e que a Igreja propõe crer. Sacrilégio - profanação das coisas sagradas, contra a Sagrada Eucaristia é falta gravíssima – por exemplo, comungar com pecado grave - “Mas todo mundo comunga fazendo isto”, quem já não ouviu isto? Como exemplo cito o mais tradicional: a pílula, diafragma, diu, etc... Algum tipo de furto (mas todo mundo rouba)  ou até mesmo pessoas que vivem maritamente e comungam por que conhece outras pessoas que fazem isso.
Simonia: É uma forma de sacrilégio, pois consiste em comprar ou vender um bem sagrado em troca de um bem material, principalmente em dinheiro. O egoísmo que se esconde na ambição do dinheiro ou na se de honras pode levar a este pecado.  Por ele o que é sagrado é rebaixado e posto a serviço de uma finalidade egoísta., sob forma de um negócio. Podemos ver na Palavra de DEUS o que nos diz: At8,20 e Mt10,8. “Nada é tão desprezado pelo povo cristão como um pastor das almas que, no exercício de seu santo ministério, não consegue ocultar seu amor ao dinheiro”.

O 1º Mandamento nos convida a crer em DEUS,
a esperar nele e a amá-lo acima de tudo.

ATENÇÃO: Aqui se refere a usar espórtulas exageradas...  (isso nem está ao alcance do catequizando) não tem nada a ver com vendas de santinhos, terços.

Fontes consultadas
Bíblia – PASTORAL (Editora Paulus).
Catecismo da Igreja Católica.
Apostilas Mater Ecclesiae (Dom Estevão Bettencourt).
Revista BRASIL CRISTÃO.
Revista ECOANDO editada pela Paullus.
FOLHA CATEQUÉTICA (Centro Pastoral Popular).
Fé, Vida e Comunidade - (exemplar do Catequista), editado pela Paulus.
Conheça a Bíblia – Ivo Storniolo.
Livro: Perguntas que o povo faz – Frei Mauro Strabeli.
Site do Santuário Nossa Senhora Aparecida – Evangelizando (Meditação do Dia)
Site do Convento Santo Antonio – RIO TOTAL/BOANOVA/
Pedro, Discípulo e Pastor – Prado Flores.
O Manual da Felicidade – O Sermão da Montanha - Pe. Alberto Gambarini.


FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!