O QUE É IGREJA?


O QUE É IGREJA?


Professando “Creio em um só Deus Pai todo-poderoso”, o cristão põe em relevo a obra do Pai na história da salvação: é Ele o “Criador do céu e da terra”. Assim o Pai é apresentado como o Princípio, Aquele que, criando, desencadeia todo o processo da história subseqüente.
Ao professar a fé no Filho, o cristão afirma a obra salvífica do Filho: “Ele se fez homem, nascendo de Maria Virgem; padeceu, morreu, ressuscitou e subiu ao céu, donde voltará para julgar os vivos e os mortos”. Assim se apresenta o Filho como o novo Criador, Aquele que dá origem a uma nova humanidade posta em comunhão com a vida do próprio Deus; fomos feitos filho no FILHO.
O cristão professa sua fé no Espírito Santo que existe e opera na Santa Igreja Católica, ou seja, para rematar a obra de Jesus Cristo, levando à plenitude, em cada cristão, a Redenção e configurando a Cristo os discípulos de Cristo. Assim, a Igreja é Santa, porque é vivificada pelo Espírito Santo, como obra prima do Paráclito. Ela possui a garantia da indefectibilidade em assuntos de fé e de moral, porque é animada pelo Espírito.
A Igreja é dita “a comunhão dos Santos”. Esta expressão traduz o grego koinonia ton hagion, que se deve entender como comunhão de todas as coisas, antes do mais. Essas “coisas santas” são os méritos de Cristo, dos quais cada cristão é feito participante pelo Santo Batismo; visto que todos participam desse mesmo tesouro, todos comungam entre si, fazendo a comunhão de pessoas santas, pessoas santas na medida em que comungam com os méritos de Cristo, que é o santo por excelência.
A remissão ou o perdão dos pecados é o fruto imediato da comunhão do cristão com a Igreja vivificada pelo Espírito. O próprio Jesus associou a remissão dos pecados ao envio do Espírito Santo, quando na noite de Páscoa soprou sobre a face dos discípulos e lhes disse: “Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos” (Jo 20,22-23). 
            Tendo recebido o perdão dos pecados, o cristão cultiva uma vida nova, “um tesouro em vaso de argila” (2Cor 4,7), tesouro que tende a desabrochar sobre o próprio corpo humano no dia da ressurreição da carne ou no fim dos tempos. Daí seguir-se-á a vida eterna ou a bem-aventurança dos justos         É nestes temos o que se esboça o conceito central de Igreja, o conceito que o Concílio Vaticano II mais incutiu que é o de Igreja-Sacramento. a Igreja = é uma realidade divino-humana; através de instrumentos humanos e elementos sensíveis, Cristo comunica a sua graça a quem participa desse sacramento: “A Igreja é em Cristo como que o Sacramento ou o sinal e instrumento da íntima união com Deus e da unidade de todo o gênero humano” (Lumem Gentium).

FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!