IGREJA UNA


IGREJA UNA

(Unicidade = única)

Não existe outra Igreja que tem todos os elementos instituídos por Cristo. Havia um só povo de Deus no Antigo Testamento, que se prolonga no único povo de Deus no Novo Testamento (que é a Igreja).
Com outras palavras: Cristo tem um só Corpo e uma única Esposa. Cf Ef 4,4-6 “Há um só corpo e um só Espírito, assim como é uma só a esperança da vocação com que fostes chamados: há um só Senhor, uma só fé, um só Batismo, há um só Deus e Pai de todos”. Todavia, quem considera as múltiplas comunidades eclesiais existentes hoje em dia (orientais ortodoxas, além das protestantes), pode perguntar se a Igreja de Cristo é realmente única e uma. 
       A Igreja de Cristo compreende todas as denominações cristãs onde haja realmente elementos eclesiais: a Bíblia, a fé, a oração, a caridade, a renúncia ao pecado, o Batismo...  Todavia a Igreja de Cristo só subsiste de maneira pela e adequada na Igreja Católica Apostólica Romana entregue a Pedro; somente nesta se encontram todos os elementos constitutivos da Igreja: os sete Sacramentos com seu centro na Eucaristia, a hierarquia instituída por Cristo e chefiada por Pedro, a Bíblia, e os sacramentais.
        As demais denominações (cristãs não católicas), pelo fato de possuírem alguns ou vários destes elementos, pertencem à Igreja de Cristo, mas estão em comunhão imperfeita e inacabada com a Igreja Apostólica Romana; essa comunhão imperfeita ou parcial deve ser levada à plenitude ou à totalidade pelo movimento ecumênico. “Aqueles que crêem em Cristo e foram devidamente batizados, estão constituídos numa certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja Católica. Com efeito, as discrepâncias vigentes, sob diversas formas, entre eles e a Igreja Católica – quer em questões doutrinais, e às vezes também disciplinares, quer acerca da estrutura da Igreja – criam não poucos obstáculos, por vezes muito graves, à plena comunhão eclesiástica.
Ora, o movimento ecumênico visa superar estes obstáculos. No entanto, justificados no batismo pela fé, eles são incorporados a Cristo e, por isso, com razão, honrados com o nome de Cristãos e merecidamente reconhecidos pelos filhos da Igreja Católica como irmãos no Senhor.
            Somente através da Igreja Católica de Cristo, auxílio geral de salvação, pode ser atingida toda a plenitude dos meios de salvação.  O Senhor confiou todos os bens do Novo Testamento ao único Colégio Apostólico, a cuja testa está Pedro (e seus sucessores), a fim de constituir na terra um só Corpo de Cristo, ao qual é necessário que se incorporem plenamente todos os que, de alguma forma, pertencem ao povo de Deus.
“Este povo, enquanto peregrina cá na terra, cresce incessantemente em Cristo, ainda que sujeito ao pecado em seus membros, e é conduzido suavemente por Deus, segundo seus misteriosos desígnios, até que chegue alegre, à total plenitude da eterna glória na Jerusalém celeste” Concílio Vaticano II.
1Cor 1,10-16 “Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento. Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: Eu sou discípulo de Paulo; eu, de Apolo; eu, de Cefas; eu, de Cristo.Então estaria Cristo dividido? É Paulo quem foi crucificado por vós? É em nome de Paulo que fostes batizados? Graças a Deus, não batizei nenhum de vós, à exceção de Crispo e Gaio. Assim ninguém poderá dizer que fostes batizados em meu nome. (Aliás, batizei também a família de Estéfanas. Além destes, não me consta ter batizado ninguém mais.)”.
            A Igreja única tem de ser una, coesa e unida. Com outras palavras: Ela deve ser capaz de se apresentar ao mundo com uma única face e uma única voz, ainda que compreenda em seu bojo muitos componentes. A unidade da Igreja é expressa também pela palavra “comunhão”. Esta traduz o grego Koinonia, que, conforme São Paulo significa “tomar parte com outra pessoa em algo”.  A comunhão significa, antes do mais, tomar parte na vida e nos méritos de Cristo, ser rico em Cristo; conseqüentemente significa o intercâmbio, o fluxo e o refluxo de vida dos fiéis entre si.
  Esta unidade está na comunhão dos santos. Está nos anseios de Cristo, que na última Ceia rezava: “Todos sejam, um”... Já que Deus é único e uno em si mesmo, a Igreja há de ser tal. A unidade da Igreja está fundamentada na comunhão com Cristo, que ocorre mediante os sacramentos.
          A Igreja de Cristo tem Unidade de Fé. A mensagem de Cristo desperta o amor, a adesão fiel a Deus e aos irmãos. A Igreja de Cristo tem Unidade no Culto e nos Sacramentos. A fé faz que toda a vida do cristão tenha o valor de culto e de oferenda a Deus. Tem a mesma liturgia no mundo inteiro (o evangelho que é proclamado aqui é proclamado na China, no México, no Canadá ...) Os mesmos sacramentos que são ministrados aqui, do mesmo jeito são ministrados no mundo inteiro. A Igreja de Cristo tem Unidade na Comunhão Fraterna. O amor a Deus que é nosso Bem Absoluto une os cristãos entre si a todas as pessoas.
        A Igreja é una pela sua fonte. “Deste mistério, o modelo supremo e o princípio é a unidade de um só Deus na Trindade, Pai e Filho e Espírito Santo”. A Igreja é una pelo seu Fundador: “Pois o próprio Filho encarnado, príncipe da paz, por sua cruz reconciliou todos os homens com Deus, restabelecendo a união de todos em um só Povo, em um só Corpo”. A Igreja é una pela sua “alma”: “O Espírito Santo que habita nos crentes, que plenifica e rege toda a Igreja, realiza esta admirável comunhão dos fiéis e os une tão intimamente em Cristo, que ele é o princípio da Unidade da Igreja”. É da própria essência da Igreja ser una.

FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!