IGREJA SANTA


IGREJA Santa

(Santidade)


1Pd 2,9 “Vós, porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio, uma nação santa, um povo adquirido para Deus, a fim de que publiqueis as virtudes daquele que das trevas vos chamou à sua luz maravilhosa”.
A palavra santo quer dizer originariamente o que é separado, reservado; quando se trata de Teologia, santo é o separado ou reservado para Deus. Assim o conceito primitivo de santo é ontológico; é o de um ser próprio de Deus. Disto se segue a noção ética: a pessoa separada para Deus ou consagrada a Deus deve levar uma vida moral à altura do seu ser ou uma vida moralmente santa. Deus é Santo por excelência; é o separado de toda impureza e o mais perfeito de todos os seres. Por isto em Is 6,3 os Serafins proclamam: “Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus”
            Disto se segue que só se pode dizer santo aquilo que pertence a Deus ou é relacionado com Deus.  Este é o modo de falar da Igreja. Jesus é o Santo de Deus, que veio a este mundo para dar origem a um novo Povo de Deus consagrado ao Senhor; Rm 1,7 (os cristãos de Corinto são ditos santos, porque membros de um povo consagrado a Deus). Ef 5,25-27: “Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, a fim de purificá-la com o banho da água e santifica-la pela Palavra, para apresentar a si mesmo a Igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível”.
            A Igreja é, aos olhos da fé, santa. Pois Cristo, Filho de Deus, que com o Pai e o Espírito Santo é proclamado o único Santo, amou a Igreja como sua Esposa. Por ela se entregou com o fim de santificá-la. Em conseqüência, os membros da Igreja devem levar uma vida moralmente santa ou isenta de pecado: “Sede santos, porque eu sou santo” é norma do Antigo Testamento que ressoa no Novo.
            O Cristão é chamado a ser, por todo o seu teor de vida, uma hóstia santa e agradável a Deus; a vida do cristão é um culto, cuja lei é a pureza. “Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual” Rm 12,1. Assim a Igreja é a comunidade dos santos, ou seja, de pessoas consagradas e pertencentes a Deus pelo Batismo e que se esforçam por viver fielmente a sua consagração batismal e a sua qualidade de membros do Corpo de Cristo.
            A Igreja é santa, porque está indissoluvelmente unida a Cristo, que nela habita e por Ela age. A Igreja de Cristo não comete pecado. O sujeito do pecado só pode ser uma pessoa individual. A Igreja consta de seres humanos na sua realidade histórica, que são pecadores; são membros da Igreja, mas o pecado que eles cometem não brota do bojo da Igreja nem é ensinado pela Igreja, que, ao contrário, o combate. Por isto na Igreja existe o Sacramento da Penitência como remédio para o pecado. A Igreja tem duas realidades (visível e invisível).

FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!