O QUE É A MISSA?


FORMAÇÃO PARA COROINHAS - V

V – A MISSA

A missa corresponde ao Sacramento da Eucaristia. “É a fonte e o ápice de toda a vida da Igreja”, e por ser o sacramento no qual o serviço dos coroinhas mais necessário, procuremos compreender bem como é celebrada a Santa Eucaristia.
           
Você vai à missa todo o domingo? Que representa a missa para você? Você sabia que a missa contém todo o Mistério da Salvação? Ela é mais que uma oração. É a oração do próprio Jesus. Renova a Ceia do Senhor e o Sacrifício Redentor. Para aproveitarmos melhor dessa riqueza, precisamos conhecê-la parte por parte, no seu significado mais profundo, que é Mistério de Deus presente na missa.

Como está dividida a celebração da Eucaristia?
          
Na celebração da Missa, a Pessoa de Cristo se faz presente no Povo de Deus reunido, no Altar da celebração e no Presidente (o bispo ou o padre). Porém, de maneira singular, Jesus Cristo está verdadeiramente presente na Sagrada Eucaristia e no Pão e Vinho consagrados.

Por isso, a Missa está dividida em duas partes principais:
- A Liturgia da Palavra
(quando proclamamos a Escritura)
- A Liturgia Eucarística
(onde nos alimentamos do Corpo e Sangue de Cristo).

           Além dessas duas partes principais da Missa, temos os Ritos inicias, que nos introduzem na celebração; e os Ritos finais onde recebemos a bênção de Deus e somos enviados a testemunhar o Cristo em nossas vidas.

Ritos Iniciais

Chegada
        Hoje é Domingo, Dia do Senhor. Vamos à missa. Estamos encontrando na igreja. Lá na frente está o sacrário: ali mora o Dono da casa. Aquela luzinha acesa é o sinal da presença de Jesus na Eucaristia. Por isso fazemos uma genuflexão, isto é, dobramos o joelho direito até tocar o chão. É um gesto de adoração ao Senhor Deus. É bom chegarmos à igreja alguns minutos antes de começar a missa, para que possamos nos preparar melhor, através de uma oração individual nos colocamos na presença de Deus. Coisa belíssima é a gente rezar na casa de Deus! Jesus disse: “A minha casa é a casa de oração”. (Lc 19,46).

Canto de Entrada
          O comentarista convida a assembléia para participar da missa e nos introduz na mensagem daquele dia. A Liturgia faz memória, revive a vida Jesus e todo o Mistério de nossa Salvação. Por isso, cada Domingo tem a sua mensagem, o seu clima próprio, que nos leva a sentir e a viver, com Cristo, a sua caminhada terrena. Começa o “Canto de Entrada”. Então o celebrante vem para o altar acompanhando da equipe de celebração. O padre chega e beija o altar ou “mesa Senhor”, não para cultuar a matéria de que é feito, mas para venerar o próprio Cristo, pois o altar lembra a mesa da Ceia e a Cruz da Redação.

O Sinal da Cruz
          Em seguida o celebrante dirige-se, com os ajudantes, às cadeiras que ficam junto da estante com o livro. Essas cadeiras podem estar diante do altar ou do lado, mas sempre de frente para o povo. Aí o celebrante faz o “Sinal da Cruz”, e juntamente com ele o fazem todos os presentes, os quais a uma só voz respondem o “amém”.

O Alto Penitencial
      O Ato Penitencial é um convite para cada um, olhar dentro de si mesmo. Reconhecer e confessar os “seus” pecados, e não os pecados dos outros. Há um provérbio que diz: “Se cada cidadão limpar a frente de sua casa, a cidade ficará toda limpa”. Se cada católico corrigir os seus defeitos, a Igreja toda ficará santa, sem mancha nem ruga.

Hino de Louvor

O “Glória a Deus” vem logo após o Ato Penitencial. Quando renovamos a vida, renunciando ao pecado e aderindo a Jesus, a sua Graça nos faz feliz. O canto é a expressão viva do que está dentro de nós. Em geral, cantamos quando estamos alegres, e cantamos para louvar, bendizer e agradecer à Deus pela Salvação que nos deu em Jesus Cristo.

Oração da Coleta
        A “Coleta” começa com um convite do celebrante: “Oremos...” É um convite solene, pois aquela oração vai se tornar a Oração da Igreja, da qual Cristo é a Cabeça e nós os membros. Após esse “oremos”, faz-se um tempo de silêncio. Por que esse silêncio? Durante o silêncio cada um deve se colocar na presença de Deus e fazer a sua oração ou intenções particulares. Depois de algum tempo, o celebrante reza em voz alta, assumindo naquela oração eclesial a oração de cada um.

Liturgia da Palavra

          A Liturgia da Palavra pode ser considerada uma preparação para a Eucaristia, mas é ainda assim de importância vital ao desenvolvimento da Missa. “Não é menos importante a Palavra de Deus que o Corpo de Cristo”, diz Santo Agostinho. A palavra de Deus é fonte de salvação. A Liturgia da Palavra nos coloca em contado com a Palavra de Deus e oferece-nos os fundamentos da fé, as maravilhas do Reino dos Céus e a exata compreensão da igreja. Do anúncio da Palavra de Deus depende muito os frutos de nossa participação no Corpo e no Sangue do Senhor. A primeira leitura e o evangelho tratam geralmente do mesmo assunto, para mostrar Jesus como aquele que leva à plenitude a antiga aliança; o salmo, é uma meditação da leitura, uma espécie de comentário contado  -  daí ser insubstituível; a segunda leitura é feita de forma semi-contínua, sempre extraída da carta do apóstolo. Também fazem parte da Liturgia da Palavra, a homilia, o Creio e as preces.


Liturgia Eucarística
   
   A liturgia eucarística divide-se em: apresentação das oferendas, oração eucarística e rito da comunhão.

- Apresentação das Oferendas

Preparação do altar
Em primeiro lugar prepara-se o altar ou a mesa do Senhor, que é o centro de toda liturgia eucarística, colocando-se nele o corporal, o sanguíneo, o cálice e o missal, a não ser que se prepare na credencia.

Procissão das oferendas
Neste momento, trazem-se os dons em forma de procissão. Lembrando que o pão e o vinho representam o que é o homem e o que ele faz, esta procissão deve revestir-se do sentimento de doação, ao invés de ser apenas um entrega da água e do vinho ao sacerdote.

Apresentação das oferendas a Deus
O sacerdote apresenta a Deus as oferendas através da fórmula: Bendito sejais... E o povo aclama: Bendito seja Deus para sempre! Este momento passa despercebido da maioria das pessoas devido ao canto do ofertório. O ideal seria que todo o povo participasse desse momento, sendo o canto usado apenas durante a procissão e a coleta fosse feita sem as pessoas saírem de seus locais.

O lavar as mãos
Após o sacerdote apresentar as oferendas ele lava as suas mãos. Antigamente, quando as pessoas traziam os elementos da celebração de suas casas, este gesto tinha caráter utilitário, pois após pegar os produtos do campo era necessário que lavasse as mãos. Hoje em dia esse gesto representa a atitude, por parte do sacerdote, de tornar-se puro para celebrar dignamente a eucaristia.
Orai Irmãos...
Agora o sacerdote convida toda assembléia a unir suas orações à ação de graças do sacerdote.

Oração sobre as Oferendas
Esta oração coleta os motivos da ação de graças e lança no segue, ou seja, a oração eucarística. Sempre muito rica, deve ser acompanhada com muita atenção e confirmada e com o nosso amém!

- Oração Eucarística

Definição
“Trata-se de uma ação de graças ao Pai, por Cristo, no Espírito Santo. A Igreja rende graças a Deus Pai pelas maravilhas operadas por Cristo, no Espírito Santo. Ela louva, bendiz e agradece ao Pai. Comemora o Filho. Invoca o Espírito Santo”
Prefácio
Após o diálogo introdutório, o prefácio possui a função de introduzir a assembléia na grande ação de graças que se dá a partir deste ponto. Existem inúmeros prefácios, abordando sobre os mais diversos temas: a vida dos santos, Nossa Senhora, Páscoa etc.

O Santo
E a primeira grande aclamação da assembléia a Deus Pai em Jesus Cristo. O correto é que seja sempre cantado.

A invocação do Espírito Santo
Através dele Cristo realizou sua ação quando presente na história e a realiza nos tempos atuais. A Igreja nasce do espírito Santo, que transforma o pão e o vinho. A Igreja tem sua força na Eucaristia.

A consagração
Deve ser toda acompanhada por nós. É reprovável o hábito de permanecer-se de cabeça baixa durante esse momento. Este é um momento sublime e de profunda adoração. Nesse momento o mistério do amor do Pai é renovado em nós. Cristo dá-se por ao Pai trazendo graças para nossos corações. Daí ser esse um momento de profundo silêncio.

Preces e intercessões
Reconhecendo a ação de Cristo pelo Espírito Santo  em nós, a Igreja pede a graça de abrir-se a ela, tornando-se uma só unidade. Pede para que o papa e seus auxiliares sejam capazes de levar o Espírito Santo a todos. Pede pelos fiéis que já se foram e pede a graça de, a exemplo de Nossa Senhora e dos santos, os fiéis possam chegar ao Reino para todos preparados pelo Pai.

Doxologia Final
É uma espécie de resumo de toda a oração eucarística, em que o sacerdote tendo o Corpo e Sangue de Cristo em suas mãos lova ao Pai e toda assembléia responde com um grande “amém”, que confirma tudo aquilo que ela viveu.

Rito da Comunhão
É o desfecho da oração eucarística. Uma vez que unidos a Cristo e por ele reconciliados com Deus, nada mais oportuno do que dizer: Pai nosso...  Esta oração deve ser rezada em grande exaltação, se possível cantada. Após o Pai Nosso temos o momento da paz, a fração do pão quando se conta o Cordeiro de Deus, e a distribuição da comunhão.

Ritos Finais

Após a oração pós-comunhão são divulgados os avisos da comunidade. A celebração encerra-se com a Bênção do Presidente e o canto final. 
  
FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!