O QUE É O ANO LITÚRGICO?


FORMAÇÃO PARA COROINHAS - IV

lV – O ANO LITÚRGICO
            
No início da Igreja, todo Domingo era dia de Páscoa. A palavra Domingo vem de Domine que quer dizer Senhor. Por isso o DOMINGO É O DIA DO SENHOR!  Nestes encontros dominicais os cristãos relembravam tudo o que aconteceu durante a vida de Jesus.
             
Aos poucos, os cristãos foram percebendo que o Mistério Pascal de Jesus está presente no mistério da vida diária.  Era preciso organizar um calendário litúrgico para se fazer memória dos eventos da vida de Cristo ao longo do ano.
             
Podemos dizer então que o Ano Litúrgico é o período dentro do qual a Igreja celebra os mistérios de nossa Salvação, recordando e revivendo a passagem de Cristo na terra. O Ano Litúrgico é, também, uma tentativa de santificação do tempo que também pertence a Deus.
              
O Ano Litúrgico compõe-se de três grandes ciclos: Natal, Páscoa e Tempo Comum.

Ciclo do Natal

Advento – é nele que começa o Ano Litúrgico. Inicia quatro domingos antes do Natal. Este é o tempo de purificação da vida pela oração, pela penitencia, e preparação para o nascimento do Salvador. As personagens bíblicas em destaques são: Isaías, João Batista e a Virgem Maria.
Natal – Aqui o clima é de festa e não mais de preparação, pois a humanidade ganha um presente divino, o Filho de Deus. O natal inicia-se aos 25 de Dezembro e tem seu término duas semanas depois.

O Ciclo da Páscoa
            Quaresma – este é o tempo de conversão, de oração, de penitência. É preciso renunciar ao mal e aderir ao bem, pois o Reino de Deus é deste mundo. A Igreja reza: “Senhor, tende piedade de nós, libertai-nos do mal e salvai-nos”. Inicia-se na Quarta-Feira de Cinzas e termina na véspera do Domingo de Ramos. Possui cinco semanas.
            A semana Santa começa com a entrada de Jesus em Jerusalém no Domingo de Ramos. Seguindo-se a segunda, Terça e Quarta-Feira santa.
            Na Quinta-Feira Santa acontece a Memória anual da Ceia do Senhor, na Sexta-Feira, celebramos a Paixão e Morte de Jesus e no Sábado Santo, celebramos a grande Vigília Pascal. Este três dias constituem o solene Tríduo Pascal.
            Páscoa – A ressurreição de Jesus é o mistério central de nossa fé. A Páscoa é a libertação de pecado e a passagem para uma vida nova, caridade e na sinceridade. Tem-se um clima de alegria, com base na vitória de Cristo sobre a morte. O tempo da Páscoa prolonga-se por 50 dias terminando com a Festa de Pentecostes.

     Tempo Comum (Parte I) – É uma espécie de período intermediário, nele o clima é de alegria e esperança, pois Cristo anunciou o seu Reino de Amor. Este tempo se inicia logo após a festa do Batismo do Senhor e se interrompe na Terça-Feira antes da “Quarta-Feira de Cinzas”. Neste tempo não se comemora nada de especial, é como se fosse o dia-a-dia da vida de Jesus.

    Tempo Comum (Parte II) – esta Segunda parte do Tempo Comum reinicia na Segunda-Feira após o Pentecostes e termina na véspera do Primeiro Domingo do Advento. O clima agora é de interiorização do Mistério Pascal. A Igreja enquanto anuncia e vive a fé, torna presente o Reino dos Céus, como sendo a face visível do Cristo na terra.

E as cores litúrgicas? Podemos dizer que na liturgia as cores ocupam um lugar muito importante. No princípio, houve uma certa preferência pelo branco, não existiam ainda as chamadas “cores litúrgicas’’ Estas foram fixadas em Roma em meados do século XII. Em pouco tempo os cristãos do mundo inteiro aderirão a este costume.

O roxo simboliza a penitência. É usado no tempo do advento e na quaresma. Pode também ser usado nos ofícios e missas pelos mortos.
O branco simboliza a vitória, a paz, a alma pura, a alegria. É usado no Tempo Pascal e no Natal; nas festas e memórias do Senhor, exceto as da Paixão; nas festas e memória da Virgem Maria, dos Santos Anjos, dos Santos não mártires, na festa de Todos os Santos.
O vermelho simboliza o fogo, sangue, o amor divino, o martírio. É usado no Domingo de Ramos e na Sexta-Feira Santa; no Domingo de Pentecostes, nas celebrações da Paixão do Senhor, nas festas dos Apóstolos e Evangelistas e nas celebrações dos Santos Mártires.
O verde é a cor da esperança. É usado nos ofícios e missas do tempo comum.

FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!