MOVIMENTO SACERDOTAL MARIANO

MOVIMENTO SACERDOTAL MARIANO


Apóstolos de Amor


Devemos amar e comunicar a todos: um grande amor a Jesus realmente presente na Eucaristia, com seu corpo, seu sangue, sua alma e divindade.

“Na Eucaristia está realmente presente Jesus Cristo, o Filho de Deus, aquele Deus que, nele, Eu vi em todos os momentos de sua vida terrena, ainda que escondido sob o véu da natureza frágil e fraca, que se desenvolvia através do ritmo do tempo e do seu crescimento humano. Com um ato contínuo de fé, Eu sempre via no meu Filho Jesus o meu Deus e O adorava com profundo amor”. (Aos sacerdotes, filhos prediletos de Maria Nossa Senhora, 21 de Agosto de 1987).

“Todas estas dimensões da Eucaristia se reassumem em um aspecto que mais do que tudo põe á prova a nossa fé: é o mistério da presença real. Com toda a tradição da Igreja, nós cremos que, sob as espécies eucarísticas, está realmente presente Jesus.” (João Paulo II, Mane Nobiscum Domine, 16).

“O Verbo Eterno do Pai, Deus criador, onipotente e onisciente, que quis revestir-se de fraqueza, impor-se ás limitações do tempo, assumir a fragilidade da natureza humana e nasceu de Mim; assim como toda criança, experimentou todas as necessidades. Quantas vezes, enquanto O beijava com ternura de Mãe, dizia-Lhe: Tu és o beijo eterno do Pai; enquanto O acariciava pensava comigo: Tu és a carícia divina que torna benditas as almas; quando Lhe punha as pequeninas vestes, sussurrava: Tu és quem reveste a Terra com as flores, e o imenso universo com os astros; e enquanto Lhe dava e comer, cantava: Tu és quem providencia os alimentos a todo ser vivo. Quando Lhe dizia com amor materno: ‘Meu Filho! ’ Adorando-O com a alma, rezava: Tu és o Filho do Pai, o seu Unigênito eterno, a sua Palavra viva”. (2 de fevereiro de 1983).

“A presença real de Jesus no Tabernáculo deve constituir como um pólo de atração para um número sempre maior de almas enamoradas dEle, capazes de estar longamente a escutar-Lhe  a voz e quase sertir-Lhe as batidas do coração: saboreai e vede quanto o Senhor é bom” (João Paulo II, Mane nobiscum Domine, 18).

Ide diante do Tabernáculo, para estabelecer com Jesus uma relação de vida simples e cotidiana; fazei de Jesus o Amigo mais querido, a Pessoa da vossa maior confiança, mais desejada e mais amada.
Falai a Jesus do vosso amor; repeti-o com freqüência, porque é somente isto que O faz imensamente feliz, que O consola de todas as ingratidões, recompensa-O de todas as traições; “Jesus Tu és o nosso amor; Jesus, Tu és o nosso único grande amigo; Jesus nós te amamos; Jesus, nós estamos apaixonados por Ti”.
“A presença de Jesus na Eucaristia tem sobre tudo a função de vos fazer crescer numa experiência de verdadeira comunhão de amor com Ele”. (21 de 08 de 1987).



Apóstolos de Adoração


“A adoração Eucarística fora da missa torne-se, durante este ano, um compromisso especial para as comunidades paroquiais e religiosas. Fiquemos prostados longamente diante de Jesus presente na Eucaristia. Aprofundemos na oração a nossa contemplação pessoal e comunitária, servindo-nos também dos subsídios da oração, baseados sempre na palavra de Deus e na experiência de tantos místicos antigos e recentes” (João Paulo II, Mane nobiscum Domine, 18).

“No meu Filho Jesus Eu sempre via o meu Deus e O adorava com profundo amor. Adorava-O quando ainda permanecia no meu seio virginal, como pequeno rebento, e amava-O, nutria-O, fazia-O crescer dando-Lhe meu próprio sangue e minha própria carne. Adorava-O depois de seu nascimento, contemplando-O na manjedoura de uma gruta pobre e singela. Adorava o meu Deus no menino Jesus que crescia, no adolescente que se desenvolvia, no jovem inclinado sobre o trabalho de cada dia, no Messias que desempenhava sua missão pública. Adorava-O quando era rejeitado e afastado, quando era traído, abandonado pelos seus e renegado. Adorava-O quando era condenado e vilipendiado, quando flagelado e coroado de espinhos, quando conduzido ao patíbulo e crucificado. Adorava-O aos pés da Cruz, numa atitude de inefável padecimento e enquanto era conduzido ao sepulcro e colocado no túmulo. Adorava-O depois da ressurreição quando, em primeiro lugar, Me apareceu no esplendor do seu Corpo glorioso e na luz de sua divindade” (21 de 08 de 1987).

“Peço que se volte a fazer em toda parte, as horas de adoração diante de Jesus exposto no Santíssimo Sacramento”. Desejo que se aumente a homenagem de amor para com a Eucaristia e se torne manifesta também através de sinais sensíveis e tão indicativos da vossa piedade.
Circundai Jesus Eucarístico de flores e de luz; cercai-O de delicada atenção; aproximai-vos dEle com gestos profundos de genuflexão e de adoração. Se soubésseis quanto Jesus Eucarístico vos ama, com o pequeno gesto de vosso amor O enche de alegria e de consolação! (21 de 08 de 1987)

“Compete aos pastores encorajar, também com o testemunho pessoal, o culto Eucarístico, particularmente as exposições do Santíssimo Sacramento, assim como a pausa adorante diante de Cristo presente no sob as espécies Eucarísticas”. É belo entreter-se com Ele e inclinandos sobre seu peito como o discípulo predileto, ser tocados pelo o amor infinito do seu coração.
Como não sentir uma renovada necessidade de ficar longamente, em conversação espiritual, em adoração silenciosa, em atitude de amor, diante de Cristo presente no Santíssimo Sacramento? “Quantas vezes, meus caros irmãos e irmãs, eu fiz esta experiência e nela encontrei a força, consolação e sustento” (João Paulo II, Ecclesia de Eucharistia, 25).


Apóstolos de Reparação

“Permaneçamos prostrados longamente diante de Jesus presente na Eucaristia, reparando, com a nossa fé e o nosso amor, as negligências, os esquecimentos, e até os ultrajes que o nosso Salvador deve suportar em tantas partes do mundo” (João Paulo II Mane nosbicum Domine, 18).
“Jesus no Tabernáculo é circuncidado por tanto vazio, por tanto abandono, por tanta ingratidão”.
Hoje é cercado pelo vazio, formado especialmente por vós, Sacerdotes, que na vossa ação apostólica, percorreis com freqüência inutilmente e muito a periferia, indo através de coisas menos importantes e mais secundárias esquecendo-vos de que o centro da vida sacerdotal deve está aqui, na presença do Tabernáculo, onde Jesus está presente e é custodiado principalmente por vós.
Jesus Eucarístico é rodeado também pela indiferença de muitos dos meus filhos que vivem como se Ele não estivesse presente e, quando entram na igreja para as funções litúrgicas não se dão conta de sua divina presença entre vós.
Mas, acima de tudo, são os sacrilégios que formam hoje uma dolorosa coroa de espinhos ao redor do meu Coração Imaculado. Quão grande, nestes tempos, é o número de comunhões, mas também quantos sacrilégios se cometem. Pode-se dizer que já não celebração eucarística alguma em que não se façam comunhões sacrílegas. Se vísseis com os meus olhos como é grande esta chaga que contaminou toda a igreja... “Se vísseis com os meus olhos, vós também derramaríeis comigo lágrimas copiosas” (08-08-1986).
“Então meus prediletos e filhos consagrados ao meu Coração Imaculado, sede hoje um poderoso apelo ao pleno retorno de toda a igreja militante para Jesus presente na Eucaristia. Por que só ali está a fonte de água viva, que há de purificar a sua aridez e transformar o deserto a que foi reduzida; só ali está o segredo da Vida, que fará chegar para ela um segundo Pentecostes de graça e de luz; só ali está a fonte de sua santidade de vida renovada: Jesus na Eucaristia” (08-08-1986).
“Quero por vosso intermédio, que culto eucarístico volte a resplandecer cada vez mais intensamente. Agora deve terminar esta profunda crise de piedade para com a Eucaristia, que contaminou a igreja, e que foi causa de tanta infidelidade e da difusão de uma vasta apostasia... A Mãe do céu quer agora conduzir a Jesus, presente na Eucaristia, um número sempre maior de seus filhos, porque estes são os tempos em que Jesus Eucarístico deve ser adorado, amado, agradecido e glorificado por todos” (21-08-1987).
 Por isso proponho que, nos Cenáculos do Movimento Sarcedotal Mariano, que serão feitos durante este ano, o Santo Terço seja rezado diante do Santíssimo Sacramento solenemente exposto sobre o altar, também para seguir o que nos indicou o Papa: “O próprio Rosário que recomendei na carta apostólica Rosarium Virginis Mariae, poderá ser um caminho particularmente apto à contemplação eucarística, feita em companhia e na escola de Maria” (João Paulo II, Mane nobiscum Domine, 15).


Apóstolos do reino Eucarístico de Jesus

“Ao mesmo tempo atualiza o passado, a Eucaristia projeta-nos para o futuro da última vinda de Cristo, no final da história. Este aspecto escatológico dá ao sacramento eucarístico um dinamismo cativante que imprime ao caminho Cristão o passo da esperança”. (João Paulo II, Mane nobiscum Domine, 15).
“O meu Coração Imaculado triunfará no maior triunfo de Jesus, que trará para o mundo o seu glorioso reino de amor, de justiça e de paz e fará novas todas as coisas. Abri os corações à esperança. Escancarai as portas a Cristo que vem a vós na glória. Vivei a trepida hora deste segundo advento”  (31-12-1987).
“N a Eucaristia Jesus está realmente presente, permanece sempre convosco e esta sua presença se tornará sempre mais forte, resplandecerá no mundo como um sol e marcará o início da nova era. A vinda do Reino glorioso de Cristo coincidirá com maior esplendor da Eucaristia. Cristo instaurará seu reino glorioso com o triunfo universal do seu Reino Eucarístico, que se desenvolverá em toda sua potência e terá a capacidade de mudar os corações, as almas, as pessoas, as famílias, a sociedade, a própria estrutura do mundo. Quando estiver estruturado o Reino Eucarístico, Jesus vos conduzirá a gozar desta sua real presença, que vós percebereis de maneira nova e extraordinária, e vos conduzirá a fazer a experiência de um segundo, renovado e mais belo paraíso terrestre.”
(21 de agosto de 1987).
“Volvendo o olhar para o futuro, esperamos confiante a aurora de um novo Dia... Os que operam nos postos avançado da igreja são como as sentinelas sobre os muros da cidade de Deus, a quem perguntamos: “Sentinela, quanto resta da noite”?” Recebendo a resposta: “Ouves? As tuas sentinelas levantam a voz, juntas gritam de alegria, porque vêem com os seus olhos o retorno do Senhor em Sião”... “Maria, a Estrela da Manhã, ajude-nos a repetir, com ardor sempre novo, o Fiat ao desígnio da salvação de Deus, para que todos os povos e todas as línguas possam ver a sua glória” (João Paulo II, 23 de maio de 1999).
No Coração Imaculado de Maria digamos com ardor o nosso SIM ao desígnio da salvação de Deus, que se realiza no seu Filho Unigênito, encarnado, morto na cruz e Ressuscitado, porque Ele é o Vivente, é o Deus conosco, só Ele é o nosso Redentor, só Ele é o nosso Salvador.
Diante da ínsidia perigosa de um globalismo, que tende a igualar todas as religiões, nestes tempos a igreja deve proclamar a todo o mundo, com a coragem e a força do seu testemunho até o derramamento de sangue, o que a são Pedro anunciava diante do Sinédrio: “Em nenhum outro a salvação, porque debaixo do céu nenhum outro Nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos senão JESUS CRISTO” (Atos, 4,12).
Jesus é o Primeiro e Último e o Fim, o Alfa e o Ômega, a Estrela Luminosa da Manhã, que nos conduz a viver o novo Dia, esperado e preparado com tanto sofrimento.
“Sede Apóstolos dos últimos tempos, porque deveis anunciar o retorno próximo de Jesus na glória, que introduzirá a humanidade nos tempos novos em que, finalmente, serão vistos o novo céu e a nova terra. Proclamai a todos, o seu retorno próximo: maranathá: Vem Senhor Jesus!” ( 08 de Dezembro de 1994).
“Coloquemo-nos, sobretudo na escuta de Maria Santíssima, na qual o Mistério Eucarístico aparece, mais que qualquer outro, como mistério de luz. Olhando para Ela conhecemos a força transformante que a Eucaristia possui. Nela vemos o mundo renovado no amor. Contemplando-A assunta ao céu em corpo e alma, vemos um fragmento dos novos céus e nova terra que se abrem aos nossos olhos com a segunda vinda de Cristo. Desses a Eucaristia constitui aqui na terra o penhor, e, de certa forma, a  antecipação: VEM SENHOR JESUS!” (João Paulo II, Ecclesia de Eucharistia, 62).
Confio a vós, que sois os responsáveis, a missão de transmitir esta carta a todos os membros do Movimento Sacerdotal Mariano, para que chegue até eles a minha afetuosa saudação, com a minha bênção sacerdotal. Espero uma resposta que me traga notícias vossas.

No Coração Imaculado de Maria,
Vosso pequeno irmão
Padre Stefano Gobbi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!