DEUS É MISERICÓRDIA



Amigos, desde que criei este blog sempre tive vontade de falar um pouco acerca da misericórdia. Esta virtude de ser misericordioso, para com os irmãos é muito difícil de colocá-la em prática, como também de compreendê-la. Deus me deu a oportunidade de expressar tal virtude através de poucas palavras; tendo de modo especial a fonte de pesquisa o seu próprio EVANGELHO. Através dos evangelhos Jesus Cristo demonstrou para nós como devemos nos comportar diante do sofrimento das pessoas, que se encontram muitas vezes arrasadas devido as suas fraquezas, ou seja, as suas limitações humanas carregadas devido o pecado original.

Não é minha pretensão falar dar misericórdia em si, mas, especialmente da misericórdia de Deus para conosco. É lógico que faz parte do ser humano o comportamento de sempre ficar numa posição de acusação, de condenação, de apontar na maioria das vezes os erros do próximo (de um pecador, de um condenado, de um marginalizado). Ficar muitas vezes numa posição assim é mais fácil, é cômodo porque de certa forma escondemos também as nossas fraquezas (nossos erros). Pois, ninguém é tão perfeito que já não tenha realizado na vida um pecado.

Irmãos, a lógica de Cristo é diferente da nossa, porque não amamos ainda, como Ele nos amou. O Filho de Deus nos amou de tal forma que morreu por nós e morreu com morte de cruz. Morreu não só pelos justos, mas também pelos injustos. Nos amou de tal modo que não hesitou em dar a sua própria vida por nós para que pudéssemos alcançar a vida eterna. Ele soube amar Zaqueu (Lucas 19, 1-10)  que tinha ambição por dinheiro, amou a mulher (João 8, 1-11) que cometeu adultério, amou Judas que nunca o excluiu do grupo mesmo sabendo que este iria o trair, amou Paulo (Saulo de Tarso perseguidor dos cristãos), amou Pedro que o negou quando foi preso (mentindo dizendo que não conhecia o mestre).   

Porque nós temos tanta dificuldade de entender a lógica de Cristo sobre a misericórdia? Ele disse: “As pessoas que têm saúde não precisam de médico, mas só as que estão doentes. Eu não vim para chamar justos, e sim pecadores para o arrependimento” (Lc 5, 31). Jesus convida os pecadores à conversão "não vim para os justos, mas sim para os pecadores" (Mc 2, 17). Convida-os à conversão, sem a qual não se pode entrar no Reino, mas mostra-lhes, com palavras e atos, a misericórdia sem limites do Pai (Lc 15, 11- 32) por cada um deles e também a imensa "alegria no céu por um único pecador se arrepende" (Lc 15, 7). A prova suprema deste amor será o sacrifício de sua própria vida "em remissão dos pecados" (Mt 26, 28). Ora , porque Cristo foi capaz de auto convidar-se para entrar na casa de Zaqueu, um pecador chefe dos cobradores de impostos (Lc 19,5)? Porque Ele foi capaz também de convidar Mateus conhecido por Levi e cobrador também de impostos para ser seu discípulo (Lc 5, 27-28)?

Ora, o olhar de Jesus para com os pecadores era de misericórdia. Ele vivia a misericórdia, pregava a misericórdia, amava com misericórdia e não aceitava a posição dos fariseus de sempre ficar numa posição de julgamento, perseguindo os frágeis aqueles que não tinham vez, que não tinham nenhuma dignidade para viver já que eram tão oprimidos pelo governo romano e pelos próprios irmãos de nação. Os fariseus eram homens com grandes influências principalmente em Jerusalém onde ficava o templo. (muitos deles eram sacerdotes) faziam parte da religião judaica.  Os fariseus se consideravam homens  bastante religiosos e piedosos porque eram doutores da Lei (conhecedores da Palavra de Deus = Primeiro Testamento) e eram de fato, mas não conseguiam olhar para o pecador com amor, com misericórdia. Jesus chegou a chamá-los de hipócritas (alguém quem tem comportamento contrário aquilo que se diz acreditar) porque defendiam a vivencia da Lei, mas eles mesmos não sabiam ter um olhar de misericórdia para com os fracos, marginalizados e pecadores. 


Vejamos o que diz Bento XVI: "Deus é audacioso porque escolheu pecadores para testemunhar o seu amor, sua existência. Um Deus que é santo acredita no homem a tal ponto de não ter receio de seu nome ser manchado pelos pecados da humanidade".

Mediante isto, podemos lembrar a posição de Jesus diante de uma atitude errônea dos Fariseus (homens que se diziam praticantes da lei) estes que queriam pegá-lo em algum erro para colocar o povo contra Ele. Temos um fato no evangelho que é tão conhecido por todos nós, onde eles pegam uma mulher adulterando trecho este se encontra presente no evangelho de João (8, 1 – 11). Nesta perícope do Evangelho vemos mais uma vez que Jesus Cristo coloca a pessoa humana acima de qualquer Lei. Primeiro os homens não podem julgar e condenar, porque nenhum deles está isento de pecados. 

Por fim, infelizmente nós não amamos ainda o suficiente para se compadecer com a fraqueza do outro. Quem se compadece com a fraqueza do próximo de certa forma entende que também um dia pode passar por tal situação.  Ora, muitas vezes o rigor do nosso julgamento sobre o próximo, mostra que desconhecemos a nossa própria fragilidade e a nossa condição enquanto pecadores diante de Deus. “Não julguem, e vocês não serão julgados. De fato, vocês serão julgados com o mesmo julgamento com que vocês julgarem, e serão medidos com a mesma medida com que vocês medirem” (Mt 7, 1-2). Com o exemplo de Jesus Cristo somos chamados a sermos homens da misericórdia, pois aquele que não consegue perdoar, é porque ainda não sabe amar. Quem ama de verdade mostra o caminho para se alcançar tal virtude Jesus Cristo. Amém! Pois, santo não é aquele que não erra, mas aquele que ao errar ergue suas mãos aos céus para alcançar de Deus a sua misericórdia. ( BEATO JOÃO PAULO II).

FIQUEM NA PAZ DE DEUS! 
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!