MARIA, A RAINHA SERVIDORA - ANO DO ROSÁRIO MARIANO

Celebração de encerramento do mês missionário

Ano do Rosário Mariano e 25º do Pontificado do Papa João Paulo II
“Maria, a rainha servidora – Mãe de Deus e nossa”

·        Motivação
Irmãos e irmãs, no mês de Outubro, rezamos para que o Espírito Santo anime a ação missionária da Igreja. De modo particular nossa ação de graças hoje, recorda-nos a figura de Maria, Mãe de Deus e nossa, a rainha servidora do povo. 
Maria é figura da comunidade cristã, e da Igreja, que intercede por ela para que seja fiel ao Senhor, lutando contra os poderes do mal que se opõem ao Projeto de Deus. Com sua ajuda, a Igreja vencerá as forças da morte caminhará rumo à vida definitiva proporcionada por Jesus Cristo. Maria é ainda, modelo do verdadeiro discípulo: sua grande bem-aventurança além de ser Mãe de Jesus, é ter acreditado na palavra de Deus e agido conforme esta palavra.
Que, nesta celebração, o Senhor realize em todos nós a promessa que se cumpriu em Maria e assim possamos cantar com Ela o cântico dos redimidos: "O meu Espírito se alegra em Deus, porque olhou para a humildade de sua serva".

Ritos Iniciais      

·        Canto de entrada e Procissão de entrada
·        Acolhida da imagem peregrina da Mãe Rainha
·        Sinal da cruz  /  Acolhida  /  Saudação
·        Ato Penitencial

·   Oração Coleta: Ó Deus, pela ressurreição do teu Filho, Jesus Cristo, alegraste intensamente a Virgem Maria. Deste a ela a graça de participar plenamente da tua glória no céu. Ensina-nos os teus caminhos para chegarmos à plena realização de nossa vocação humana. Por Cristo, Nosso Senhor.  (Amém)
 Liturgia da Palavra
·        Acolhida à Palavra de Deus

·        1ª Leitura:     
A Bíblia guardou uma pequena história que tem a jovem e bela Ester como figura principal. Eram tempos difíceis para o povo, tempos de perseguição e de exílio (na Pérsia). Aman, ministro do Rei da Pérsia, pretendia destruir os Judeus. Ester, que era Judia e muito bonita, tornou-se Rainha por causa de seu encanto e usou disso para defender o seu povo. Depois daquele dia, a cada ano, o povo fazia uma grande festa para comemorar o gesto de Ester.

Leitura do Livro de Ester 5, 1 - 2 ; 7, 2 - 3


·        Salmo Responsorial:       
Lembrando o cântico do casamento de um rei com uma princesa, celebramos a aliança que Deus fez conosco, representada como relação de um casamento. Entoemos ao refrão do salmo e meditemos rezando cada verso desta oração do povo de Deus.                       

Salmo 45(44)
Refrão:       

De alegria vibrei no Senhor, pois vestiu-me com sua justiça
Adornou-me com jóias bonitas, como esposa do rei me elevou.  (Bis)


·        2ª Leitura:     
Escrevendo à comunidade dos Gálatas, o apóstolo Paulo declara com força que só a fé em Jesus Cristo nos torna participantes da bênção prometida a Abraão e nos dá a dignidade de filhos e filhas de Deus. Ele apoia sua afirmação, no argumento que vamos ouvir. Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas 4, 4 - 7

·        Evangelho: Os sinais de Deus são simples. Uma jovem pobre chamada Maria, é quem vai dar à luz o grande rei. E uma mulher desprezada, chamada Isabel, reconhece em Maria a escolhida para ser a Mãe do Senhor. Ouçamos o relato do encontro das duas mulheres. 

·        Aclamação ao Evangelho
·        Evangelho        LUCAS 1, 39 - 45   
·        Homilia
·        Profissão de Fé

·        Oração dos fiéis (Ladainha de Nossa Senhora) Invoquemos Maria, com seu Filho Jesus Cristo. Ela se manifesta ao nosso povo com os mais diversos títulos para ser sinal de intercessão junto ao Pai. Invoquemos a sua proteção sobre todos nós,  cantando e rezando a Ladainha de Nossa Senhora.

Liturgia Eucarística
Fazendo-se homem, Jesus Cristo não conheceu o pecado. Ele, Santo e Imaculado quis que também Maria, sua Mãe, para salvar-nos do pecado, fosse imune de culpa, a fim de ser modelo de todos os que se salvam. Com ela, o mal foi definitivamente vencido. Foi a primeira mulher a entrar no Reino, e dele nos indica o caminho. Agradeçamos e louvemos ao Pai por nos ter dado Maria, e nos alimentemos com o Corpo de Cristo para sermos, como Ele e com Maria, vencedores do mal.

·        Oração após a comunhão: Deus de bondade, nós te bendizemos por este encontro e pela força que nos vem da tua Palavra. Fortalece nossos passos vacilantes e complete com o teu amor tudo o que fazemos, para que cheguemos ao final de nossas vidas coroados de glória. Por Cristo, nosso Senhor. (Amém)

Ritos Finais

Sugestões para a celebração:

1- Preparar o local da celebração com um painel, Ícone ou Imagem de Nossa Senhora.
2- Fazer uma acolhida fraterna das famílias, destacando a presença de Maria Santíssima na vida familiar.
3-  Procissão acolhendo a Bíblia no início da Liturgia da Palavra, acompanhada de velas, flores e um canto apropriado.
4-    A primeira leitura seja proclamada por uma mulher, acompanhada do esposo e filhos.
5-   Durante o Salmo responsorial, um grupo de jovens ou crianças apresenta uma dança litúrgica ou expressão corporal alegre e orante.
6-  No momento das preces comunitárias, lembrar das famílias que trabalham na evangelização das famílias dando testemunho de serviço  ao reino.
7- As preces podem ser substituídas por uma versão da Ladainha de Nossa Senhora, que deve ser cantada.
8-   Ensaiar os cantos e refrões com a assembléia antes do início da celebração.
9-  A celebração não é uma mera apresentação, cuidado para não torná-la como tal. Devemos dar vida à liturgia, tudo o que fizermos devemos fazer com gosto, entusiasmo e amor. Tudo por Cristo, em Cristo e com Cristo.

Acima estão algumas sugestões, isto não quer dizer que devemos fazer tudo o que aqui foi sugerido. Só devemos fazer aquilo que soubermos e pudermos. Cuidado para a celebração não perder o verdadeiro sentido, ao desempenharmos determinados gestos e ações mal feitas e improvisadas.

FIQUEM NA PAZ DE DEUS!
SEMINARISTA SEVERINO DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONFIRA AS POSTAGENS MAIS VISITADAS (PROCURADAS) DO BLOG. VALE A PENA!

EU SOU O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!

BLOGS PARCEIROS!